sábado, 3 de junho de 2017

Perda de cabelos mitos da saúde dos cabelos

Mitos e verdades sobre perda de cabelos

Mitos e verdades sobre perda de cabelos.

Surpreendentemente, os mitos sobre a perda de cabelos são mais conhecidos do que fatos sobre o tema em si. A saúde dos cabelos nunca foi tão importante como agora. Vejamos o que é mito ou verdade!

De uma condição tão comum e indesejável, o público foi inundado com mitos sobre perda de cabelos. Tudo para promover as vendas de produtos para prevenção. 


Muitas empresas têm estudado o tema por causa de nossos próprios desejos para eliminar a perda de cabelos de nossas vidas. Para não mencionar a quantidade ilimitada de dinheiro que nós (o público) estamos dispostos a gastar nesta busca. 

Isso faz com que o mercado de produtos para prevenção da calvície perpetue mitos que irão aumentar as vendas sempre mais e mais. Mas, na maior parte, são apenas isso, mitos. 

Alguns dos mitos mais comuns sobre a perda de cabelos são os seguintes: 

Mito da perda de cabelos # 1: 
Masculino padrão: Calvície vem do lado da mãe da família e ignora uma geração. 
Não é verdade. Não existe um único gene que cause calvície


A maioria das pesquisas acreditam é um resultado de vários genes diferentes. Genes herdados de ambos os pais, interagindo uns com os outros para causar a perda de cabelos

Mito da perda dos cabelos # 2: 
Calvície padrão afeta apenas os homens. 
Basta perguntar a qualquer mulher que sofre de calvície padrão, não é verdade. 

Na verdade, a perda de cabelo é tão comum em mulheres quanto em homens. Nas mulheres a perda dos cabelos ocorre em uma forma menos virulenta e é mais fácil de esconder. 


Além disso, o cabelo das mulheres tende a diminuir em toda a área do couro cabeludo, enquanto o cabelo dos homens dilui em remendos e na testa. 


Mito # 3 da perda do cabelo: 
O baixo fluxo de sangue sob à área do escalpo causa a perda do cabelos. 
Este é um equívoco que tem sido perpetuada por empresas que vendem produtos de perda de cabelos por anos. 


Pergunte a qualquer dermatologista e ele irá te dizer, couro cabeludo calvo têm tanto fluxo de sangue como couro cabeludo cheio de cabelos. 


É por causa deste fluxo de sangue para o couro cabeludo calvo que os transplantes de cabelo funcionam tão bem. 

Mito perda de cabelo # 4:
Se você não perdeu os cabelos até os 40, você não os perderá mais. 
Mais uma vez, não é verdade. A idade não tem nada a ver com isso. 

Se você está geneticamente predisposto a perder os cabelos, você vai perdê-los, é somente uma questão de tempo. Apenas seja grato se você chegou aos 40 com seu cabelo ainda intacto. 

Mito # 5 da perda do cabelo: 
O esforço faz seu cabelo cair mais rápido. 
Ok, em alguma parte, isso é verdade, mas é preciso um evento muito traumático para causar estresse suficiente que faça seus cabelos caírem. 


O stress comum que experimentamos diariamente não é suficiente para fazer nossos cabelos caírem. Na verdade, algum estresse pode realmente até aumentar a produção de mais cabelos. 

Os problemas de cabelo, como a queda, enfraquecimento ou os cabelos ressecados, também podem ser resultado do stress provocado pela insônia e problemas de sono.


OK, Eu poderia falar sobre mitos sobre a perda de cabelos e não ficar sem coisas para falar por um bom tempo. Mas, o ponto é este. A maioria dos fatos que pensamos que sabemos sobre a perda dos cabelos são realmente mitos. 


Se você está sofrendo de perda de cabelos, consulte o seu médico dermatologista. Seu médico será capaz de dar-lhe uma razão real para a sua perda de cabelo e aconselhá-lo sobre que tipos de tratamentos trabalhar em seu caso específico.

Entenda porque acontece a perda de cabelos.

Entenda porque acontece a perda de cabelos.

A perda de cabelos é um problema comum que atinge milhões de pessoas em todo o mundo. É muito importante que se faça uma diferenciação entre queda de cabelo e calvície.


No entanto, muitas pessoas apresentam uma perda dos cabelos mais acentuada, o que pode ser um sinal de algum problema de saúde mais grave.


1 - Causas hereditárias; alopecia androgenética, a maior causadora de calvície masculina no mundo.

A alopecia androgenética não tem cura definitiva, mas existem diversas opções de tratamento existentes que ajudam bastante.

2 - Problemas nutricionais; a diminuição no consumo de alguns tipos de alimentos podem causar deficiências nutricionais sérias – e o cabelo pode ser um dos primeiros afetados.

A falta de proteínas, falta de ferro, falta de vitaminas do complexo B ou o excesso de algumas vitaminas. São reflexos de uma má alimentação e que contribuem para a queda de cabelos.

3 - Danos ao cabelo; - Muitas vezes pode parecer que o seu cabelo está caindo, quando na verdade ele está se quebrando.

Alisamento e modelagem térmicos, banho muito quente ou escaldante, excesso de força no manuseio dos fios, Química muito agressivo. 

Essas e outras atitudes podem muito bem favorecer o enfraquecimento e consequente queda ou perda do cabelo. A saúde dos cabelos requer atenção sempre.

4 - Remédios e medicamentos;
Alguns tratamentos voltados para os cuidados de saúde podem provocar sintomas no seu corpo que provoquem a queda dos cabelos. 

Informar corretamente o seu médico sobre a ocorrência pode ajudar na substituição dos remédios e ou componentes.

5 - Doenças e problemas de saúde;
Lidar com o dano físico, os medicamentos e o stress envolvido em problemas de saúde enfraquece nosso organismo. Assim como as consequências dos medicamentos, a reação ás doenças pode fazer com que nossos cabelos caiam mais fácil.

Além, é claro, das doenças que afetam o couro cabeludo. São elas: Alopecia areata, Alopecia cicatricial, Dermatite seborreica (caspa),  Diabetes, Psoríase, Hipertensão, Hipertireoidismo, Micose, Lúpus, Problemas na hipófise

6 - Distúrbios psicológicos;
Alguns distúrbios psicológicos podem afetar diretamente a saúde dos cabelos. Alguns deles são; Stress emocional, Transtornos alimentares, Tricotilomania (mania de arrancar os fios do próprio cabelo)

Claro, existem ainda muitos outros fatores determinantes que favorecem ou provocam a queda dos cabelos. Mas até aqui já basta para termos uma ideia bastante abrangente do problema.
Previna a perda de cabelos

Previna a perda de cabelos.

A queda de 100 fios de cabelo ao dia é uma margem considerada aceitável, é um processo natural de renovação. A perda de cabelos num nível superior a 100 fios diários já pode ser considerado como fator de calvície.

Você sabia que 60% da população masculina brasileira com idade entre 18 e 60 anos sofre com a calvície?

A perda de cabelo localizada é o primeiro sinal para recorrer ao atendimento médico. Assim, alguns tratamentos podem ajudar a minimizar o problema. 

Os tratamentos mais modernos são o Microtransplante Capilar com Unidades Foliculares e a estimulação das células-tronco. 

A técnica consiste em transplantar raízes capilares da região da nuca para a área calva por meio de microincisões. Na nuca é onde se encontra a melhor qualidade genética do cabelo. 

Pacientes com áreas doadoras menos densas ou com mais idade, as células tronco dos micro implantes podem ser estimulados. Isso é feito com fatores de crescimento obtidos do próprio paciente. 

A técnica possibilita a implantação de até seis mil fios de cabelos e é feita com anestesia local e sedação. O procedimento dura cerca de três horas.

O controle da queda capilar pode ser feito por meio de medidas preventivas como a utilização de shampoo neutro e higienização correta do couro cabeludo, inclusive da seborreia. 

Evitar o uso de produtos com propriedades tóxicas e tingimento com produtos de má procedência também ajuda a evitar a queda de cabelos.
    
Curiosidades: 1% da população sofre algum tipo de queda de cabelos associado a alteração do sistema imunológico que o fazem destruir os folículos capilares.


Você conhece alguma dica de saúde dos cabelos?
Envie-nos sua dica, quem sabe você possa vê-la postada aqui!


Não deixe de visitar o Saúde em Dicas. Aqui você encontrará sempre uma dica de saúde valiosa.

Sobre o Saúde em Dicas   


  

Medicina Alternativa e Medicina Moderna

As raízes da medicina alternativa Medicina alternativa e medicina moderna têm diferenças e quem pode dizer qual é o melhor? Hoje, esp...